rotter

CRISTINA ATAÍDE – Viseu, 1951
Vive e trabalha em Lisboa
 
“Rotter”, 2010-12
Tubo metálico pintado 300cm x 700cm

A artista trabalha temas e formas enraizados em memórias ancestrais.
A merujona é um artefacto de vime usado no Algarve na pesca de toda a sorte de peixes e moluscos. A sua bela e complexa forma estilizada, trazida para uma zona fluvial onde a pesca da lampreia e do sável divulga a imagem das populações ribeirinhas do Tejo e ajuda a promover um subtil diálogo de culturas. Mas ao alterar, de modo dramático, a escala, os materiais de construção, as cores, a artista altera a funcionalidade e confere uma dimensão contemporânea à forma tradicional: a memória transforma-se em vida, e a obra como peça de um jardim público, alcança numa vocação infantil, popular e universal.