ângela ferreira

Ângela Ferreira nasceu em Maputo, Moçambique, em 1958. Com dupla nacionalidade, a artista tem vivido alternadamente entre a África do Sul e Portugal. Completou estudos na Michaelis School of Fine Arts da Universidade de Cape Town, em 1985, e residiu nos anos seguintes em Lisboa, onde rapidamente se afirmou no meio artístico.

Foi a primeira a eleger a questão do passado colonial como temática artística. A questão das identidades, considerada em termos de cultura, género, etnia ou orientação sexual, enquadra todo o debate artístico dos anos 90.

Utilizando a sua dupla experiência cultural, europeia e africana, Ângela Ferreira procura encontrar esse difícil ponto de vista que se apresenta como uma proposta de diálogo continuado. A artista desconstrói o referencial minimalista minando-o com o poder evocativo da memória.
A ambivalência na relação com a memória colonial faz-se sentir tanto no tratamento da "história oficial" quanto no modo como se lhe associam referências pessoais. Foi escolhida para a Representação Portuguesa na Bienal de Veneza 2007.

Das suas exposições individuais, nos últimos cinco anos, destacam-se “Carlos Cardoso – Straith to the Point & Peter Blum Cape Sonnets”, Michael Stevenson Gallery, Cape Town (2011); “Carlos Cardoso – Directo ao assunto”, Galeria Filomena Soares, Lisboa (2011); “Paradys”, Ermida de N. Sr.ª da Conceição, Lisboa (2011); “Double Lecture”, Carpe Diem, Lisboa (2010); “Werdmuller Centre and other Works”, Michael Stevenson Gallery, Cidade do Cabo, África do Sul (2010); “Hortas na Auto-Estrada”, Museu do Neo Realismo, Vila Franca de Xira (2009) e “Hard Rain Show, Museu Colecção Berardo, Lisboa e La Criée, Rennes (2008).

Das suas exposições colectivas recentes destacam-se “Outros Olhares – Novos Projectos”, Museu do Chiado, Lisboa (2012); “Trade Routes Over Time”, Stevenson Gallery, Cape Town (2012); “Maputo: A Tale of One City”, Museu Nacional de Arte, Maputo (2012); “Zona Letal, Espaço Vital – Obras da Colecção da Caixa Geral de Depósitos”, Museu Municipal de Tavira (2011); “Appropriated Lanscapes”, The Walther Collection, Neu-Ulm, (2011).

Ângela Ferreira está representada em diversas colecções em Portugal, nomeadamente na Colecção de Arte da Fundação EDP em Lisboa, mas também em países como Espanha, França, África do Sul, Itália e Alemanha.